Vitélio e os astrólogos

O imperador romano Vitélio (15-69), só reinou oito meses e alguns dias (de abril a dezembro de 69), o suficiente para se tornar célebre pelas suas depravações e crueldade. Tinha pelas artes divinatórias extrema aversão. No entanto, pesava-lhe a suspeita de ter matado a própria mãe de fome, por causa de uma profecia que lhe garantia “um reinado sólido e longo se conseguisse sobreviver a sua mãe”.

Nasceu em 24 de setembro e seu horóscopo, predito pelos astrólogos, deixou os parentes tão apavorados que o seu pai empreendeu sempre os maiores esforços para que não se confiasse a ele nenhum governo. Quando sua mãe recebeu a notícia da ascensão de Vitélio ao império, chorou-o como se ele tivesse morrido.

A fama de glutão atravessou os séculos e até hoje Vitélio é lembrado pelos excessos na mesa. Neste caso a palavra excesso não passa de uma figura de linguagem para este libriano que não conhecia limites para o seu apetite, nem primava pelo equilíbrio e moderação… No mais famoso dos seus banquetes, oferecido a ele pelo seu irmão, foram consumidos dois mil peixes e sete mil pássaros da melhor espécie.

Perseguiu e condenou astrólogos à morte sem os ouvir, à vista de qualquer denúncia. Suas perseguições tornaram-se ainda mais encarniçadas depois que publicou o édito por meio do qual os expulsava de Roma e da Itália, concedendo-lhes um prazo que ia até as calendas de outubro. Mas estes responderam com insolência, através de cartazes afixados pela cidade com os seguintes dizeres:

“Saudações a todos! Os caldeus proíbem a Vitélio Germânico de estar em qualquer parte do mundo, antes do dia mesmo das calendas de outubro”.

Em 22 de dezembro de 69, cumprindo a insolente predição, Vitélio estava morto. Outra profecia também se cumpriu, a de que tombaria sob o poder de um gaulês, pois o chefe do partido adversário que o derrotara tivera na infância o apelido de Gaulês.

3 comentários em “Vitélio e os astrólogos

  • 11 de novembro de 2010 em 2:03 pm
    Permalink

    Vitélio foi imperador de Abril a Dezembro de 69. Os astrólogos estavam enganados (como sempre estão).

  • 11 de novembro de 2010 em 5:15 pm
    Permalink

    Carlos, tem razão! Foi um erro imperdoável de minha parte, já retificado. Quanto ao engano dos astrólogos, discordo, pois mais de 30 anos de pesquisa me levaram a reconhecer que às vezes eles acertam… Boa parte das informações que recolhi sobre os césares vem de Suetônio. Como a minha pesquisa não tem a pretensão de rigor histórico, mas sim de registrar anedotas, lendas e fatos pitorescos relacionados aos astrólogos e adivinhos, considero desnecessária a discussão sobre a validade da astrologia. Em todo o caso, muito obrigado pela sua observação!

  • 8 de maio de 2011 em 7:33 pm
    Permalink

    A Astrologia deveria ser estudada paralelamente à História, pois ambas são importantes como relatos, a fim de elucidar melhor período analisado. Astrólogos podem errar, assim como também os historiadores! A diferença será no aprofundamento de cada disciplina. Sendo coerente consigo mesmo, será a sua interpretação do mundo que o cerca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.