Teófilo de Edessa

O primeiro escritor astrológico notável entre os árabes foi um grego, Teófilo de Edessa (c. 695-785), influenciado pela astrologia hindu. Escreveu quatro tratados astrológicos em grego, sendo que um deles tratava exclusivamente de astrologia militar. Em idade avançada, ele se tornou o astrólogo da corte do Califa Al-Mahdî (m.785), que o tinha em alta estima por causa da sua perícia na arte da astrologia. Há uma anedota interessante sobre esses dois personagens:

Certo dia o Califa manifestou o desejo de fazer uma viagem a uma de suas províncias, levando junto sua corte. A mulher do Califa, que detestava este lugar, não gostou da ideia e mandou um mensageiro dizer ao astrólogo:

– “Graças ao seu conselho o Califa fará esta viagem, impondo-nos a fadiga e o enfado de uma jornada inútil. Rogo a Alah que o faça perecer logo, para que nos livremos de sua presença e possamos gozar de um pouco de paz”.

Teófilo não deixou o desaforo sem resposta e mandou a seguinte mensagem para a rainha, por intermédio do mesmo criado:

– “Não é por minha causa que o rei fará esta viagem; ele viaja quando bem entender e tiver vontade para isso. Quanto à maldição que lançaste contra mim, visando acelerar a minha morte, posso vos adiantar que isto já foi decidido pelo próprio Criador: em breve eu estarei morto. Mas não será por causa da vossa oração; é a vontade de Alah que isso aconteça. Quanto a vós, ó Rainha, não terá motivo para alegrar-se por muito tempo com minha morte. Preparai-vos para derramar muitas lágrimas!”

Essa mensagem enigmática deixou a rainha com muito medo e intrigada com o significado da fala do astrólogo. Pouco tempo depois Teófilo morreu, e vinte dias após sua morte o Califa al-Mahdî também chegou ao fim de seus dias. Como Teófilo havia previsto que aconteceria…

Extraído de Arabian Astrology, de James Herschel Holden, “A History of Horoscopic Astrology” (Tempe, Az., American Federation of Astrologers, 1996, pp. 99-129)

Um comentário em “Teófilo de Edessa

  • 7 de maio de 2011 em 9:40 pm
    Permalink

    Quando a família real não é sábia, o reino decai rapidamente, sucumbe de uma vez. Se os sábios desde aquele tempo não são respeitados por alguns, há um preço a pagar imenso. Nossa sociedade pós-moderna tem pagado esse preço por teimosia e ignorância!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.