Diocleciano

Diocleciano (245-313), imperador romano de 284 a 205, declarou a “ciência matemática”, ou astrologia, condenável e interdita. Enquanto tal proibição atingiria, entre outros, o astrólogo Firminus Maternus, o mesmo não aconteceria com Apolônio de Tiana. Segundo conta a lenda, obrigado a comparecer ao tribunal presidido pelo imperador, Apolônio invectivou-o asperamente e, quando menos se esperava, desapareceu como por encanto, reaparecendo segundos depois na Gruta de Puteoli, a quilômetros de distância, graças aos seus conhecimentos de magia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.