Aníbal

Entre os romanos, nenhuma batalha se travava sem que os generais tivessem consultado os augures, que sacrificavam um carneiro para inspecionar sua tripas. Às vezes jogavam grãos aos galos sagrados; se eles os devorassem com voracidade, era sinal que os deuses eram favoráveis, mas se ficassem indiferentes, a batalha deveria ser adiada para outro dia.

Conta-se que o célebre Aníbal, ao pressionar o rei da Bitínia, seu aliado, para atacar os romanos, ouviu dele a desculpa que os galos não quiseram comer. Ao que o cartaginês retrucou, indignado: “Então prefere a opinião de um frango a de um velho general?”

Muitas vezes os chefes militares se viam diante de situações embaraçosas, se ignorassem os presságios. No ano de 249 A.C., na batalha de Trapani, contra os cartagineses, o cônsul romano Claudius Pulcher foi advertido pelos áugures para que não atacasse a frota inimiga, pois os galos tinham se recusado a comer. O cônsul ordenou, então: “Joguem-nos ao mar! Se não querem comer, hão de beber!” Os marinheiros reagiram indignados, considerando esta ordem um sacrilégio. Recusaram-se a remar e, por causa disso, os romanos perderam aquela batalha…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.