Albumasar

Inúmeras anedotas e casos interessantes são creditados a Albumasar (c.787-886), considerado o astrólogo mais célebre de Bagdá em seu tempo. Começou sua carreira como estudante do Hadîth, ou tradições do profeta Maomé, e só depois dos trinta ou quarenta anos de idade é que passou a dedicar-se a astrologia. Então adquiriu fama como astrólogo admirável, devido ao seu conhecimento enciclopédico e às previsões certeiras. São atribuídas a ele a autoria de cerca de cinqüenta livros, entre os quais “As Flores da Astrologia”, traduzida em latim e uma das primeiras obras impressas na Alemanha por Gutemberg.

Em certa ocasião o astrólogo viajava para Bagdá, na companhia de alguns viajantes. Durante uma parada para descanso num vilarejo, um de seus amigos que também conhecia astrologia perguntou-lhe como estaria a Lua no dia seguinte. Albumasar respondeu:

– Em quadratura com Marte.
– Então não devemos partir amanhã! – comentou o amigo.
– Eu não me arrisco a viajar num dia como este, mas os outros viajantes com certeza não deixarão de o fazer – observou o astrólogo.

Mesmo assim o amigo tomou a iniciativa de prevenir os companheiros de que o dia seguinte seria desfavorável para prosseguir viagem. Como Albumasar havia previsto, eles ignoraram o conselho e decidiram partir ao amanhecer. O astrólogo observou o céu naquele instante, constatando que Marte estava em Touro no Ascendente, em quadratura com a Lua no signo de Leão. E advertiu os viajantes, antes que seguissem viagem: – Para a casa de Alah é que vocês não vão a esta hora!

Mas os viajantes riram do astrólogo e ignoraram o seu aviso.

– Sinto pena desses homens insensatos – disse Albumasar para o amigo, vendo-os partir. E se sentaram ambos, comendo e bebendo. Nem chegaram a terminar o repasto e logo apareceu um dos viajantes com a roupa rasgada e o corpo cheio de ferimentos. A caravana havia sido surpreendida por ladrões, alguns viajantes foram mortos, outros feridos, enquanto os bandidos fugiram com tudo o que levavam. Furiosos, os sobreviventes procuraram Albumasar, armados com pedras e paus, e o responsabilizaram pela catástrofe.

– Isto aconteceu por causa de sua superstição!

O astrólogo teve de fugir para não ser linchado e, tão logo viu-se a salvo, jurou para o amigo que nunca mais falaria de astrologia com o homem da rua.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.